4
.
10
.
2016

5 super dicas para uma boa compatibilização

O poder de revisão de projetos é de 100% antes do início da obra. Depois que ela começa, esse poder vai diminuindo cada vez mais.

Há alguns anos nossa empresa se dedica a gestão de projetos da construção civil além de projetos de arquitetura. E dentro desse trabalho uma das nossas ocupações é a compatibilização de projetos. Procurando o significado através do “Gooroogle”, encontramos em diferentes dicionários as seguintes definições:

Compatibilização:

ocasionar a compatibilidade de; fazer ficar compatível; conciliar.

Compatível:

passível de coexistir ou conciliar-se, a um tempo, com outro ou outros.

Então compatibilizar é conciliar, é tornar passível de coexistir.

Lembrando que projetos bem compatibilizados são aqueles que têm as suas interfaces analisadas, identificando interferências, com soluções mais eficientes, evitando retrabalhos, desperdícios, atrasos no cronograma. O resultado será uma execução de obra mais produtiva.

Queremos então compartilhar com vocês 5 das mais preciosas dicas para conciliação de projetos, para que eles sejam fisicamente capazes de coexistir.

1ª dica: Utilize um software para sobrepor os projetos e faça marcações/anotações

Aqui na Platz costumamos criar um arquivo único para a compatibilização de cada empreendimento. Se você utilizar o software de forma organizada, mesmo que seja 2D, você poderá alcançar bons resultados, mas voltaremos a falar de softwares noutra dica.

2ª dica: Crie uma layer para marcações/anotações

Dentro desse arquivo único para a compatibilização nós criamos uma layer específica para nossas anotações e as mantemos lá até o projetista alterar o que foi solicitado. Depois mudamos essa marcação para uma layer "atendido", por exemplo.

3ª dica: Analise os projetos com relação a eles mesmos.

Não é incomum encontrarmos incompatibilidades entre planta e cortes da mesma disciplina, ou mesmo entre a planta e o detalhe que se refere a mesma planta. Se há 2 informações diferentes sobre o mesmo assunto, qual será utilizada na obra? A mais fácil ou a mais efetiva? E qual delas é a correta e não acarretará problemas para outra disciplina?

4ª dica: "Cruze" projetos que contêm as mesmas informações.

Para esse item vamos dar uma exemplo: consideremos os reservatórios superiores de um edifício residencial em concreto. Tivemos a seguinte sequência em um projeto: 1. cadastro da hidráulica com a dimensão necessária, 2. arquitetura recebeu os arquivos, trabalhou neles e cadastrou, 3. estrutura entrou na sequência e absorveu os reservatórios superiores. Quando fomos checar a compatibilização novamente, o reservatório da estrutura não estava compatível com a hidráulica. A arquitetura não fez as correções necessárias e a estrutura utiliza a base da arquitetura. Pensem comigo: quando esse projeto estiver em execução, qual projeto será utilizado para se concretar os reservatórios? Isso mesmo: a estrutura. Por isso, sempre “cruze” os projetos que têm as mesmas informações.

5ª dica: Utilize softwares BIM.

Os softwares BIM permitem a visualização do que foi modelado e podem inclusive apontar interferências entre projetos. Essa é uma das razões de estarem crescendo no mercado. Sempre que o projeto é feito em BIM fica muito mais fácil compatibilizar.

Uma boa compatibilização precisa também de colaboração. Quando a equipe pensa de maneira simultânea e colaborativa a eficiência produtiva aumenta para todos!

A Platz Arquitetos utiliza software BIM na compatibilização de projetos.

Quer mais dicas de compatibilização?

Entre em contato conosco!